Dentista e Convênios

Se o ser humano tem uma qualidade, esta qualidade é se adaptar ao ambiente em que vive. E parece que chegou a hora dos dentistas se adaptarem a uma população que, em sua maioria, possui convênios odontológicos.

Eu atendo convênios? Sim. Convênios pagam mal? Também.

“Pô Thiago…você é bem burro então hein…”

Se você é dentista a mais de 10 anos e tem nome em sua cidade e uma clientela grande, ESTE TEXTO NÃO É PRA VOCÊ.

Este texto é para quem está começando na profissão ou acabou de abrir uma clínica e consultório e precisa de VOLUME.

Isto, o convênio faz por você. Te divulga, te traz pacientes, mostra você e seu consultório pra região que você atende. E isso é o que você precisa para começar.

Nós temos que entender que o paciente de convênio não procura o melhor endodontista, ou o profissional que usa a melhor resina. Ele procura o cara que atende o convênio dele. E, se você fizer um bom trabalho, proporcionar um bom atendimento, você saí na frente.

Concordo que para um especialista em endodontia, ganhar 150 reais por uma endo de molar é impossível. Nestes casos, sente com o paciente e explique para ele o por que de você não fazer endodontia pelo convênio. Você utiliza técnicas e matérias que proporcionam conforto para o paciente e durabilidade do tratamento e, pelo valor pago pelo convênio, você não pode oferecer isso ao paciente. Acreditem em mim. Em 90% dos casos o paciente irá entender e fará  o tratamento particular. E coloque na sua cabeça o seguinte, você não precisou mentir para o paciente. Jogar limpo é o segredo.

Este tipo de abordagem serve para prótese, implantodontia e e qualquer outra área da odontologia que você seja especialista e utiliza métodos e materiais diferenciados para dar conforto ao paciente.

Então como eu posso utilizar o convênio em meu favor? A resposta é: Clinica geral.

Vamos supor que um convênio pague 20 reais por restauração em resina classe I e 60 reais por uma raspagem com ultra som. Sim, o valores são muito baixos. PORÉM!!!!! Você vai ganhar dinheiro no volume de pacientes. Os convênios levam muitos pacientes para os consultórios (pacientes estes que só te procuraram pelo convênio e talvez nunca iriam saber de sua existência). Uma clínica com 4 dentistas faz, em média, 100 restaurações classe I por mês … é só fazer a conta.

E não me venha com papinho de que a resina que você usa é caríssima. Todos sabemos que para casos simples, de cáries pouco extensas, nós não precisamos da resina top do mercado.

E a melhor parte vem agora. 90% dos pacientes não precisam apenas de restaurações e limpezas. Junto com estes procedimentos de clínica geral, vem falta de dentes, dentes amarelados, dentes tortos.

A maioria dos pacientes de orto e de implante das clínicas que atendem convênios, vieram dos próprios convênios, começaram com restaurações, exos e profilaxia e hoje pagam por procedimentos mais complexos.  Depende da habilidade de venda do profissional conquistar esses pacientes. (Não se esqueçam que amanhã estes pacientes podem perder o emprego e, junto com ele, o plano odontológico ou, ele precise indicar um bom profissional para um amigo ou parente que não possui um plano. De quem ele irá se lembrar neste momento?).

Que fique bem claro que não estou pedindo para vocês se sujeitarem aos convênios. Se você observar que o convênio X só glosa seus procedimentos, que pede rx inicial e final para todos os procedimentos ou que pede atitudes absurdas, FUJA. Só estou propondo que vocês se adaptem a esta nova era de convênios e vejam que, sim, dá para se beneficiar com esta onda de empresas pagando pouco para nós, dentistas.

Eu também gostaria que todos os nossos pacientes fossem particulares. Com certeza nós estaríamos ganhando muito dinheiro, ou não. Os convênios abriram as portas para muitas pessoas que não teriam a oportunidade de pagar por um tratamento particular.

 

Você pode gostar...

1 Resultado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *